Entrevista: Marcos Gomes, Diretor da MRM Logistics

AHK: A MRM possui cobertura logística em todo o território nacional. Quais são as principais características deste mercado?

Marcos: As características que se apresentam são bastante particulares, variando de acordo com o setor de atuação, perfil e produto de cada cliente. O mercado em que atuamos é extremamente competitivo, porém essencial para as empresas que dependem da logística de importação e exportação, seja para suprimentos de matéria prima, peças de manutenção ou venda de produtos finais para o mercado interno e externo.

AHK: Custo é sempre uma variável importantíssima na contratação de serviços. Isso se aplica também na atuação da MRM?

Marcos: Em parte. Logística um mercado que não visa somente preço, mas principalmente a agilidade e flexibilidade na prestação do serviço, pois prazo é um fator sensível para que nossos clientes tenham vantagem competitiva perante seus concorrentes na entrega de seus produtos e cumprimento de metas.

AHK: Todo segmento tem seus gargalos. Quais são os do segmento de logística?

Marcos: Podemos apontar os mais comuns: burocracia de documentos, carga tributária, variação da moeda e taxas cambiais, provocando o aumento do custo final do produto, tornando-o menos competitivo no mercado nacional.

AHK: Praticamente todos os setores da indústria e serviço enfrentaram um declínio em prol da crise política e econômica estabelecida no país. Vocês atuam fortemente no setor de óleo e gás e construção naval, que foram extremante impactados pelo cenário. Qual tem sido o foco da empresa diante dos desafios que o mercado tem apresentado?

Marcos: Foi natural termos o reflexo no quantitativo de ordem de serviços. Porém, nossos clientes estão conosco há muitos anos e essa situação é transitória. O mercado já está reaquecendo. Nosso papel nessa conjuntura é justamente dar todo suporte à logística de produtos e suprimentos para mantê-los competitivos mesmo em um cenário adverso.

Participamos esse ano mais uma vez das feiras BrasilOffshore e NavalShore como patrocinadores e expositores e visitamos feiras do setor fármaco, automotivo, energias renováveis e commodities. Já pudemos perceber uma movimentação positiva para retomada dos principais setores.

A perspectiva é positiva, pois ampliamos nosso leque de serviços com novas possibilidades de receita e estamos investindo cada vez mais em sistemas e tecnologias que nos mantêm na vanguarda do setor, permitindo reforçar nossos diferenciais competitivos, como agilidade e flexibilidade no atendimento e operação para prover o menor tempo de entrega porta a porta.

Recentemente, ampliamos o foco de serviços, atuando no aluguel e venda de equipamentos para o segmento de logística e movimentação de cargas e transporte, como contêineres, IBC, cestas, flextanks, guindastes, dentre outros.

Sobre a MRM:

A MRM atua há 13 anos como uma empresa de logística e agenciamento de transporte doméstico e internacional aéreo, marítimo e terrestre, além de assessoria aduaneira de alta qualidade. A empresa é especializada no setor Offshore, com projetos customizados no manuseio de cargas urgentes, embarques diretos, consolidados, crossdocking, cargas com dimensões especiais, serviço global de charters e break bulk.

Possui uma cobertura logística em todo território nacional e internacional. São mais de 7 mil representantes em mais de 700 cidades ao redor do mundo.

No setor aduaneiro, possui expertise em legislação tributária federal, análise e enquadramento de regimes aduaneiros especiais, como REPETRO e DRAW BACK para o setor offshore. Além de trabalhar para diversos segmentos que exigem normas e procedimentos especiais, como perecíveis, fármacos, animais vivos, obras de arte e cargas explosivas.

A MRM possui softwares integrados ao SISCARGA, SISCOMEX, Receita Federal do Brasil entre outros, além de contar com sistemas de rastreamento online, a fim de promover aos seus clientes celeridade e segurança no transporte de suas cargas.

Adequação ao eSocial: sua empresa está preparada?

A forma como os empresários lidam com suas obrigações fiscais, trabalhistas e tributárias vai passar por uma verdadeira revolução. Em 2018, entra em vigor, de forma definitiva para empresas de todos os portes, o eSocial, projeto que padroniza os procedimentos de transmissão, validação, armazenamento e distribuição das informações relativas aos trabalhadores, sejam eles empregados, avulsos ou contribuintes individuais.

Leia mais

Caminhão elétrico desenvolvido no Brasil é apresentado na Alemanha

O veículo foi desenvolvido pela filial brasileira e será voltado para entregas nos mercados da América Latina e da África. Ele começa a rodar em testes no ano que vem, em modelos de 9 a 11 toneladas. A produção em Resende (RJ) deve começar em 2020. (fonte: G1)

Latam Brasil começa a comercializar passagens de trem na Alemanha

É possível sair de Frankfurt e ir para as cidades de Hanover, Hamburgo, Leipzig, Munique, Nuremberg ou Stuttgart.

O trem é um dos transportes mais usados para cruzar a Europa. E na Alemanha não é diferente. Por conta disso, a Latam Airlines Brasil firmou uma parceria para ampliar ainda mais a conectividade daqueles que viajam ao país.

A partir de agora, os passageiros que voam com a companhia de São Paulo para Frankfurt têm a opção de adquirir no mesmo bilhete uma conexão direta com a Deutsche Bahn AG, para seguir de trem até as cidades de Hanover, Hamburgo, Leipzig, Munique, Nuremberg ou Stuttgart.

Em nota, a Latam Brasil informa que “a escolha pelo trecho operado em trens pode ser feita no momento da compra do bilhete no site latam.com. Ao selecionar uma das seis cidades como destino, partindo de São Paulo, o sistema oferecerá ao cliente as opções de conexão em Frankfurt, incluindo trechos operados pela Deutsche Bahn”. As tarifas incluindo o voo São Paulo/Guarulhos-Frankfurt e a conexão com trens da Deutsche Bahn partem de R$ 3.374,34, com taxas, e já estão disponíveis nos canais de venda. (fonte: m&e)

Mais de cem executivos e empresários europeus almoçam com o Prefeito do Rio de Janeiro
(Runa Hestmann)

"Chegou a hora de identificar os projetos prioritários para a cidade e contamos com seu apoio", afirmou o Prefeito Marcelo Crivella durante o almoço organizado pelas Câmaras de Comércio Europeias no Rio de Janeiro.

As Câmaras Europeias do Rio promoveram, no dia 20 de julho, no Sofitel, um encontro com o Prefeito Marcelo Crivella para discutir os investimentos e as perspectivas para a cidade. O almoço reuniu cerca de 120 associados das Câmaras de Comércio da Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Itália, Noruega, de Portugal e do Reino Unido.

"Vocês são todos muito bem-vindos aqui, e o Rio de Janeiro está muito interessado em cooperar com suas empresas para trazer investimentos e inovações para o Rio”, disse Crivella em seu discurso aos CEOs, diplomatas e executivos presentes.

O Prefeito expressou tristeza com a situação atual da cidade, onde a violência está aumentando, e a crise econômica está paralisando os serviços públicos. "Nossa história é evidência de que o Rio de Janeiro deveria ser uma cidade integrada, mas com o tempo, se transformou em uma cidade segregada e violenta. Isso é uma vergonha e se perpetuou devido à falta de prioridade política. A prioridade nunca foi dada à educação ou aos cuidados de saúde, e uma cidade segregada e violenta é o resultado”. Sobre as atuais denúncias de corrupção no país, o Prefeito disse acreditar que o pior resultado desse momento foi ver a inversão de prioridades, em referência aos interesses de políticos sendo colocados, em muitos casos, acima dos da população.

RECUPERAÇÃO

Vários representantes da Prefeitura também palestraram ao lado de Crivella. Apresentaram, junto ao Prefeito, as várias medidas que a Prefeitura está atuando.

Jorge Farah, Subsecretário do Tesouro de Crivella, procurou explicar o desafio fiscal que o governo municipal está enfrentando. “Uma revisão nas contas revelou uma discrepância de R$3,8 bilhões entre receitas e despesas. Foram fechadas 60 mil vagas de empregos formais entre janeiro e maio de 2017, e o impacto nas contas foi enorme. Estamos vendo uma recuperação tímida em diversas áreas e esperamos registrar uma melhora em 2018, graças à implementação de uma série de ações como corte de pessoal e renegociação de contratos de serviços”, disse Farah.

Clarissa Garotinho, Secretária de Desenvolvimento, Emprego e Inovação apresentou a iniciativa “Porto 21”, uma área do Porto Maravilha onde a Prefeitura planeja a criação de um polo de inovação tecnológica, voltado para empresas privadas, sociedade civil, governo e meio acadêmico, para desenvolver atividades focadas em TI, inovação e tecnologias aplicadas a projetos sociais. “Estamos procurando parceiros internacionais que se estabeleçam aqui, e estamos estudando incentivos que gostaríamos de oferecer para atrair investidores e stakeholders, irá prever uma equalização das alíquotas de ISS” disse a Secretária.

Luciano Cordeiro, Subsecretário de Projetos Estratégicos, explicou que a administração atual pretende usar as “Parcerias Público-Privadas”, as chamadas PPP, para melhorar a educação, a saúde, o transporte público e os projetos de requalificação urbana no Rio de Janeiro. Algumas das prioridades definidas são a expansão dos leitos em hospitais, e vagas na pré-escola, além da modernização da iluminação pública.

VENHAM PARA O RIO

Mauro Osório, Presidente do Instituto Pereira Passos, órgão municipal de pesquisa e estatísticas, procurou destacar dados do Rio de Janeiro ligados ao emprego e a renda. “O salário médio no Rio é de R$3.347,00. Mais de 80% dos empregos formais estão no setor privado, o restante no público, e 61,48% dos empregos estão na economia formal, contra 38,52% de empregos no chamado setor informal.” Em relação às desigualdades da cidade, Osório citou o bairro da Pavuna, onde apenas 5,8% dos moradores têm educação superior, enquanto que no bairro da Lagoa, esse número chega a um valor europeu de 58%. "Nossa ambição é reduzir a desigualdade entre as pessoas e isso envolve também reduzir os deslocamentos entre a moradia e o local de trabalho. Reduzir a desigualdade é uma prioridade para este governo, e nós pretendemos fazer isso por meio de ações territoriais e planos de ação ajustados aos diferentes bairros da cidade”, explicou Osório.

Lucio Macedo, Diretor de Planejamento da Riotur, realizou uma apresentação sobre a importância do turismo para o Rio e apresentou o calendário dos diversos eventos e congressos que a cidade sediará nos próximos anos. “O impacto econômico é imenso. Os eventos contribuem para a criação de empregos diretos e indiretos, e acreditamos que serão fundamentais para atingir um aumento de 25% no número de turistas que vêm para o Rio de Janeiro. Só em 2017, 900.000 pessoas visitarão a cidade. Nós estamos prontos – venham para o Rio!”, disse Macedo.

O encontro aconteceu em um ambiente de diálogo construtivo para fomentar trocas de ideias, projetos e planos de atração de investimentos para o desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro nos próximos anos.

Mais informações: institucional@camaraseuropeias.rio

Entrevista: Um notável brasileiro

 

Em entrevista exclusiva dada à Ana Carolina Richard, Antonio Roberto Cortes, Presidente da MAN Latin America, fala um pouco de sua trajetória, sua relação com a Câmara Brasil-Alemanha e sobre o que representou ter recebido o Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha (2014).

Pioneiro na indústria automobilística, a história do economista Roberto Cortes na Volkswagen Caminhões e Ônibus, planta que fica em Resende, sul do estado do Rio de Janeiro, começa no ano da inauguração da fábrica. Em 1996, Cortes assumiu como Controller Corporativo da Volkswagen na América do Sul; a empresa detinha 10% do mercado, e vendia uma média de oito mil caminhões por ano. Resende, nesta época, possuía muitas granjas e uma indústria química.

De lá pra cá muita coisa mudou. Sob o lema “menos você não quer; mais você não precisa”, a empresa se empenhou na mudança da política de produção, ou seja, na produção sob medida. Com foco na mão de obra qualificada, na engenharia do cliente, venda e pós-venda adequados se desenvolveu a fábrica certa, fazendo o produto certo, com a melhor revenda do Brasil.

Para explicar a liderança de 12 anos de mercado, Cortes é taxativo: “Tudo na vida é foco”. E desta forma, a Volkswagen Caminhões e Ônibus passou a deter uma parcela de 30% do mercado.

Em recente matéria do Boa Chance, do jornal O Globo, a MAN Latin America ficou em segundo lugar no ranking das melhores empresas pra se trabalhar. A receita do sucesso? Internamente, a empresa investe em programas de segurança, reconhecimento e crescimento profissional. São R$ 4 milhões, por ano, em programas de desenvolvimento profissional via parcerias com universidades e escolas de negócios no Brasil e no exterior, além de bolsas de estudos para os níveis técnico e universitário. Além disso, promove campanhas de saúde contra obesidade e tabagismo, por exemplo. Externamente, preza por boas parcerias com os governos, com associações, câmaras de comércio e sindicatos. “Todos os ambientes têm que se somar. Em 17 anos de atividade, jamais tivemos uma greve”, revela Roberto Cortes.

Sobre a relação com a Câmara Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro, onde foi diretor e vice-presidente da AHK-RJ por dois mandatos consecutivos em cada cargo, Cortes reconhece ter um carinho todo especial, já que contempla o fomento de negócios. E resume: “Somos uma empresa cidadã de origem alemã”.

Cortes participa dos Conselhos Administrativos do Banco Volkswagen, Fundação Volkswagen e Volkswagen Previdência Privada – VWPP. Também é membro do Grupo de Líderes Empresariais – LIDE, associação de empresários destinada a fortalecer o pensamento, o relacionamento e os princípios éticos de governança corporativa no Brasil. Já foi eleito “Personalidade da Indústria Automotiva” pela Editora Autodata (2010), Líder do Brasil na Indústria Automotiva” (2011), em premiação promovida pelo LIDE e pelo jornal Brasil Econômico, e “Profissional do Ano” (2012), segundo os leitores da revista Automotive Business. Além dessas premiações, Cortes conquistou o título de Personalidade do Ano pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – ADVB (2011), e Personalidade de Vendas da América Latina pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – ADVB filial EUA, em conjunto com a FENADVB – Federação Nacional das ADVBs (2012).

Apesar de tantas premiações, Cortes declarou que o Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha, que recebeu em agosto de 2014, em Hamburgo, foi o mais especial de todos. “É o reconhecimento maior do meu trabalho”.

O Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha é uma iniciativa da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo sob o patrocínio do Conselho Integrado das Câmaras Alemãs no Brasil e acontece desde 1995.