A agravante piora da qualidade da água e a busca por uma gestão eficiente

De acordo com o relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), “Perspectivas do Meio Ambiente Mundial”, cerca de 2,3 bilhões de pessoas não tem acesso a saneamento básico, além de apontar piora na qualidade da água do planeta. Sendo dependente de como os outros segmentos ambientais de uma bacia hidrográfica são manejados, é necessário que seu gerenciamento seja integrado, considerando a eficiência para o alcance das medidas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Além do agravante e reforçando a ideia de monitoramento da qualidade da água, segundo pesquisadores, ainda não há no mercado métodos que retirem totalmente o agrotóxico da água. O Ministério da Saúde - Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) adverte que mais de 1.300 cidades encontraram resíduos de agrotóxicos na água das torneiras em medições feitas entre 2014 e 2017.

 “Uma vez que o pesticida chega na água, ainda não se tem um processo bem substanciado e que garanta que o cidadão possa usá-lo para fazer a purificação”, afirma o professor Antônio da Hora, Professor de Recursos Hídricos no Departamento de Engenharia Agrícola e Meio Ambiente da Universidade Federal Fluminense (UFF). 

Através do avanço das tecnologias, estão sendo desenvolvidos projetos científicos para acabar com a contaminação da água causada por agrotóxicos. Ainda assim, a gestão de recursos hídricos necessita de uma administração que garanta a eficácia da aplicação de políticas que orientem a sustentabilidade dos processos, considerando os impactos ambientais nas decisões econômicas. Além das políticas globais, as empresas devem tomar medidas eficazes referentes ao uso de recursos hídricos e adotar tecnologias mais avançadas para a melhoria da qualidade.

Acerca dessa busca pela gestão eficiente da água, a Câmara Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro desenvolveu o curso de extensão IWAMI (International Water Manager for industries), em parceria com consultores alemães. O curso permite aos participantes adquirirem conhecimentos técnicos e gerenciais, com o olhar voltado à aplicabilidade nas empresas através do desenvolvimento de um projeto concreto.

Faça sua inscrição e seja um profissional em gestão de recursos hídricos!

Contato: Natália Chaves | Tel: (21) 2224-2123 – Ramal 109

Fontes: O Paraná e Repórter Brasil