Há 40 anos na missão de ensinar Alemão

O BauKurs ensina alemão no Rio de Janeiro desde 1978. Das primeiras aulas em Ipanema até os cursos temáticos de hoje, realizados na colorida casa de Botafogo e na simpática sede da Barra da Tijuca, passaram-se já quarenta anos de envolvimento com a língua alemã e de um trabalho incessante na integração cultural entre Brasil e Alemanha. Atualmente o BauKurs conta entre 350 e 400 alunos a cada semestre, considerando os cursos intensivos e aulas individuais, entre 900 e 1000 ao ano.

O nome Baukurs, uma derivação da palavra alemã Aufbaukurs, foi sugerido por uma aluna em um concurso realizado para escolher como seria chamada a escola. Baukurs significa curso em construção, em uma tradução literal. Todas as professoras aprovaram a sugestão, pois representava a ideia do processo de formação pelo qual passariam os alunos dentro da escola.

Em entrevista com a Diretora Thea Schünemann de Miranda

Completar 40 anos comprova a excelência e uma história de sucesso. Quais são os marcos e as novidades para essa nova fase?

Nosso trabalho sempre se ateve ao atendimento cuidadoso de nossos alunos e clientes. Queremos a cada dia nos especializar mais nessa área. Acreditamos no encontro e nas possibilidades interpessoais. Em 40 anos houve outros momentos difíceis. O aprendizado sempre foi arregaçar ainda mais as mangas e trabalhar com mais empenho.

O grande marco era nossa comemoração de 40 anos, onde contamos a estória de nosso trabalho. Sempre nos empenhamos em estabelecer um diálogo entre a cultura alemã e brasileira. Queremos a cada ano aprofundar mais essa nossa prática de 40 anos, não apenas através de nosso curso de alemão, mas também de nossas atividades culturais.

Acabamos de lançar um novo site, que pretende ser mais interativo com alunos e com a nossa comunidade. Queremos entrar mais no mundo virtual, sem perder nossa marca, que sempre foi o contato com o outro.

“Ensino e Aprendizado são uma via de mão dupla.”

Qual é a importância da língua alemã no Brasil?

Muitos pensam que a importância da língua alemã está diretamente relacionada ao mundo econômico, a posição que a Alemanha ocupa no mercado europeu. Sem dúvida, esse é um aspecto importante, mas não é o único. Ao longo desses 40 anos, observamos que a maioria de nossos alunos tem um interesse mais cultural pela Alemanha, querem conhecer o idioma dos grandes filósofos, dos músicos, da literatura. Se pensarmos que “Noite Feliz”, esse “hino” de Natal, que todos conhecem no Brasil, é originariamente alemão, como negar a influência dessa cultura em nosso país? Isso sem citar as grandes imigrações alemãs no Sul e no Sudeste brasileiros. Temos uma enorme mistura de alemães também em nossa formação como brasileiros miscigenados que somos.

Atualmente um projeto que nos move muitíssimo, é nosso curso super intensivo para enfermeiros empregados na Alemanha. O mercado alemão tem enorme demanda por essa classe profissional, e como no Brasil o curso de enfermagem de nossas universidades públicas é de excelência, as clínicas alemãs, através de uma empresa de captadores de talentos nessa área, se interessou em convidar nossos profissionais a trabalharem na Alemanha. Nós habilitamos esses jovens enfermeiros a concluir o curso B1 em 4 meses e meio, para assim obterem o visto necessário para trabalho na Alemanha. Tem sido um trabalho extremamente motivador, e que de certa forma revolucionou nosso método de ensino, pois vimos que É POSSIVEL!!!

Já enviamos ao longo de 2 anos, 43 enfermeiros que estão todos incluídos no mercado de trabalho em várias cidades na Alemanha. Estamos em nosso quinto grupo, que irá para Frankfurt em janeiro de 2019. O Baukurs foi pioneiro nesse projeto, e nossas professoras, Adriana Borgerth e Natasha Silva apresentaram o mesmo no último Congresso de Professores de Alemão em Curitiba.

“A gente acredita na cultura caseira e no fazer junto, sem grandes alardes, mas na prática intimista.”

O BauKurs possui projetos em vários âmbitos. Como tem sido desenvolvido a biculturalidade durante o ensino da língua com seus alunos?

Na realidade todo aprendizado de uma língua estrangeira se dá também na consciência de sua própria língua. Ou seja, é quase uma redundância falar em biculturalidade, pois essa é intrínseca ao processo de aprendizado de uma língua estrangeira. Mas nós, muito cedo no BauKurs, percebemos o quanto é importante envolver o aluno nesse outro universo cultural. E envolvê-lo de forma afetuosa, de forma íntima, e não fria ou apenas informativa.

Por isso, desde sempre, cozinhamos juntos, fazemos música juntos, assistimos a filmes juntos (em nosso muito longevo cineclube) e fazemos teatro juntos (como nosso grupo Shakespeare). A gente acredita na cultura caseira e no fazer junto, sem grandes alardes, mas na prática intimista.